Um plano de poupança para ganhar mais confiança

Sarah B., 57 anos, Consultora Tributária*

 

"O meu problema? Periodontite. No ano passado, eu tinha apenas três dos meus dentes originais da arcada superior. A solução? Três raízes de dentes artificiais em cada lado do maxilar superior que pudessem suportar uma ponte rígida de doze dentes. Eu não estava preocupada com a intensidade da dor que teria depois da inserção dos implantes, mas foi um pouco difícil.

Durante o tempo em que fiquei com dentaduras temporárias, tinha medo que elas se soltassem à frente de um cliente e caíssem na comida, ou se deslocassem para trás na minha boca. Eu tenho duzentos clientes e, por isso, não posso correr o risco de me sentir insegura. Para mim, a solução com implantes era necessária, do ponto de vista médico; e também para o meu bem-estar geral.

Eu queria uma boa fixação, segurança e a sensação de não me preocupar em poder, ou não, conversar, rir ou comer sem sofrer um “acidente”.

Além disso, o meu marido é cinco anos mais novo do que eu; por isso eu queria sentir-me atraente e despreocupada. Por isso optei conscientemente por dentaduras fixas. Há dez anos, decidi não renovar o seguro e, em vez disso comecei a investir mensalmente em ações – o que, depois, usei para adquirir um pouco de felicidade pessoal. Logo depois, eu abri um novo plano de poupança, pois esperava ter que inserir mais um conjunto de implantes na mandíbula inferior".

* Estes partes de testemunhos de pacientes podem não refletir sua experiência com terapia com implante dentário. Os resultados podem não ser indicativos para cada colocação de implante e pode não se aplicar a todos os pacientes. Quanto aos riscos inerentes a um terapia com implante dentário, consulte o seu médico dentista e leia a secção de perguntas frequentes.