Regeneração Tecidular

O Straumann® Emdogain oferece soluções para a regeneração previsível de tecidos periodontais duros e moles perdidos.

Tratamento REGENERATIVO com Emdogain®

O tratamento da periodontite envolve o controlo das bactérias causadoras da mesma e da inflamação, bem como a subsequente regeneração dos tecidos periodontais rígidos e moles perdidos, de modo a obter novamente a fixação dos dentes. O objetivo do tratamento regenerativo é o restabelecimento de uma fixação funcional total. O Emdogain® é desenvolvido para alcançar isso pelo estímulo dos processos biológicos de desenvolvimento natural dos dentes.

O desenvolvimento do Emdogain® é fundamentado no conhecimento da biologia básica do desenvolvimento do dente: proteínas da matriz de esmalte, um complexo de proteínas nativas que desempenham um papel essencial no desenvolvimento dos tecidos de suporte dos dentes. Composto por várias proteínas, que se autoaglomeram para criar esta matriz, o Emdogain® faz a mediação da formação do cemento na raiz do dente em desenvolvimento, proporcionando uma fundação para todos os tecidos necessários associados a uma fixação funcional real. 1-5

A aplicação de Emdogain® na superfície limpa da raiz do dente afetado pela doença periodontal ajuda a regenerar o periodonto, que inclui o cemento, o ligamento periodontal e o osso alveolar.1-5

Efeitos a nível celular

O Emdogain® forma uma matriz extracelular tridimensional insolúvel. Esta matriz permanece na superfície da raiz por 2 a 4 semanas e possibilita a colonização seletiva, proliferação e diferenciação de células.6

1. Quando o Straumann® Emdogain é aplicado, as proteínas derivadas da matriz de esmalte precipitam-se sobre a superfície da raiz, formando
uma camada matriz.

4. As células de apoio são atraídas e diferenciam-se em cementoblastos, que iniciam a formação da matriz do cemento na qual as fibras periodontais se irão fixar.

2. A matriz estimula a atracção e proliferação de células mesenquimais da região saudável do periodonto.

 

5. A camada de cemento recentemente formada aumenta de espessura, prolongando o ligamento periodontal.

3. As células segregam citocinas específicas naturais e substâncias autócrinas que promovem a necessária proliferação.

 

6. No espaço de meses, o defeito é preenchido com ligamento periodontal recentemente formado. À medida que o ligamento periodontal é formado, continua a desenvolver-se osso novo.

Indicações

O Emdogain® é indicado para:

  • Defeitos intraósseos
  • Defeitos de bifurcação
  • Grandes defeitos intraósseos
  • Defeitos de recessão

Em defeitos amplos, ou, onde o suporte de tecidos moles adicionais é necessário, recomendamos o uso de Emdogain® combinado com BoneCeramic™.

Emdogain® PLUS

Emdogain® e BoneCeramic™ também estão disponíveis combinados com Emdogain® PLUS.
O Emdogain® PLUS também inclui o PrefGel®, um condicionador de superfície de raiz EDTA de 24 %, de pH neutro com o propósito de oferecer uma remoção eficaz e delicada da “camada de esfregaço” durante a cirurgia periodontal.

 


1 Pimentel SP, et al. Enamel matrix derivative versus guided tissue regeneration in the presence of nicotine: a histomorphometric study in dogs. J Clin Periodontol. 2006;33:900-907.
2
Dieter D. Bosshardt et al. Effects of enamel matrix proteins on tissue formation along the roots of human teeth. J Periodontal Res. 2005;40:158-167.
3
Sallum EA et al. Enamel Matrix Derivative and Guided Tissue Regeneration in the Treatment of Dehiscence-Type Defects: A Histomorphometric Study in Dogs J Periodontol. 2004;75:1357-1363.
4
Sakallioglu U et al. Healing of periodontal defects treated with enamel matrix proteins and root surface conditioning - an experimental study in dogs Biomaterials. 2004;25:1831-1840.
5
Cochran DL et al. The effect of enamel matrix proteins on periodontal regeneration as determined by histological analyses. J Periodontol. 2003;74:1043-1055.
6
Stratul S, Rusu D, Sculean A. The use of an enamel matrix protein derivative (Emdogain) in regenerative periodontal therapy. Which applications are evidence based? Part III. Results from human histological studies. Timisoara Medical Journal 2008;58:108-110.